Music

Canções do Desterro

by Léo Lago

Released 09/06/2017
Released 09/06/2017
  • 01:23 Story Lyrics
    A Canção Mais Bonita Pra Você

    Hoje eu vou cantar
    A canção mais bonita pra você.
    Porque hoje o tempo não passa
    Meus medos me prendem, sufocam
    Estou em pedaços.
    As palavras quebraram o encanto.
    A estrela chora e aos poucos
    Perde seu brilho.
    Não, amor, não chore.
    Vamos tentar manter algo vivo
    Apesar de que o brilho mais intenso,
    Quando vemos, já não existe.
    Então vá. Mas volte!
    Estarei sempre esperando por você.
    E quando você voltar
    Olhe nos meus olhos e,
    Por favor, não diga nada.
    Me abrace e saiba que te amo.

  • 00:55 Story Lyrics
    É Preciso...

    Nada como um dia após o outro
    Pra desgastar um coração
    É preciso muito zelo
    Pra batendo mantê-lo
    É preciso renovar a cada dia
    Ou ao menos tentar reparar
    O passo em falso, o passo atrás
    É preciso cuidar pra que um dia
    Não se fique na inércia de um peito sem batida
    Sem carinho, sem ternura
    É preciso dar flores,
    Doces, cartas, beijos apaixonados
    De entrega, de repente
    Ou mesmo um olhar sincero que prove que
    É preciso estar junto pra sempre
    É preciso reconquistar
    É preciso ter o momento nas mãos
    E temer a ausência, a perda, o amanhã
    E por isso tudo, é preciso amar intensamente
    Como o último suspiro de um amante abandonado.

  • 02:07 Story Lyrics
    Ó, Minha Amada

    Ó, minha amada
    de antes, depois
    de hoje, de ontem
    quando fomos dois 

     

    Ó, minha amada
    por querer-te tanto
    é que deixo rolar
    esse meu pranto

     

    Te lembro em meu canto
    Por tanto te querer
    Por querermos tanto
    Fomos tudo perder

     

    Ó, minha amada
    de antes, depois
    de nunca, de sempre
    quando somos dois

  • 02:40 Story Lyrics
    A Solidão Anda pela Casa / Ao Meu Único Amigo

     

    A solidão anda pela casa
    Cordas
    Garrafas
    E o som dos seus passos
    Sinto sua presença constante
    - no abraço

     

    A solidão está ao meu lado
    Em todas as coisas que escolho fazer
    Em tudo o que penso e decido na vida
    - Mas não sou a escolhida

     

    A solidão mora comigo
    Me acorda todos os dias
    Almoça e janta comigo
    Me acompanha ao trabalho
    E escuta o que eu digo
    - Será meu único amigo?

     

    Ao meu único amigo

    De toda a vida

    Que me acalenta nos braços
    E assopra minhas feridas,
    Que me recebe em afagos
    Pelas dores antigas.
    Ao meu único amante,
    Pois com as voltas do tempo,
    A ti sempre retorno
    E entre beijos e abraços
    Me mostras no vento
    Muitos planos e sonhos
    Que eu mesma invento
    Pra que um dia voltes a
    Ouvir meu choro e meus passos
    Ao meu inimigo,
    Que usa o que sinto
    Pra brincar comigo
    E arremessa o novelo
    E conta até cinco
    Pois sabe que volto,
    Pra mim mesma minto.
    Ao meu único nada

     

  • 03:01 Story Lyrics
    Don't Let Me Be Misunderstood

     

    Baby you understand me now
    If sometimes you see I'm mad
    Don't you know no one alive can always be an angel?
    When everything goes wrong you see some bad

     

    But I'm just a soul whose intentions are good
    Oh Lord, please don't let me be misunderstood

     

    You know sometimes baby I'm so carefree
    With a joy that's hard to hide
    Anda then sometimes again it seems that all I have is worry
    And then you bound to see my other side

     

    But I'm just a soul whose intentions are good
    Oh Lord, please don't let me be misunderstood

     

    If I seem edgy
    I want you to know
    I never meant to take it out on you
    Life has its problems
    and I get more than my share
    but that's one thing I never meant to do

     

    Cause I love you
    Oh baby
    I'm just human
    Don't you know I have faults like anyone?

     

    Sometimes I find myself alone regretting
    some big foolish thing
    some wrong thing I've done

     

    Cause I'm just a soul whose intentions are good
    Oh Lord, please don't let me be misunderstood
    Baby, I'm just a soul whose intentions are good
    I try so hard, baby

  • 01:52 Story Lyrics
    Caminhando em Gelo Fino

     

    Caminhando em gelo fino,
    jogando com o destino;
    seria só um desatino
    sentir-me como um menino
    que não sabe onde pisar?

     

    O que será que eu procuro
    logo ali depois do muro?
    Nada espero do futuro;
    quero meu porto seguro
    no momento de voltar.

     

    Já que a vida é coisa breve,
    deixe que o vento nos leve,
    até lá, onde se atreve
    a coragem de quem deve
    a vida saborear.

     

    Que tenhamos no caminho
    corações sempre em alinho,
    beijos, amores e vinho;
    só não me deixes sozinho
    onde eu não possa te achar.

  • 02:58 Lyrics
    O Mundo É Maior / A Queda

    O mundo é maior

    (letra/lyrics: Natasha Juliana Pereira - música/music: Léo Lago)

    Vê: o mundo é maior que uma loja de belchior;
    São tantas cores e aromas, não se distingue o melhor.
    Dê-me sua mão, vamos juntos!
    O mundo é maior, mas somos maiores que o mundo.
    Experimente o sabor do doce e do amargo,
    Sabendo que estarei sempre aqui ao seu lado.

     

    Abri seus olhos pro mundo,
    Nos atirei no penhasco,
    E a doçura de sermos dois
    Foi se transformando em asco.
    E nós sabemos, no fundo,
    Que não teremos depois
    Quando sua mão solta a minha
    Para estar livre no espaço.
    Então me vejo de novo e como sempre sozinha
    E me arrependo outra vez de cada um dos meus passos.
    E eu que queria tudo perdi a mim mesma então.
    Que seja rápida a queda e eu encontre logo o chão

     

    A queda

    (Léo Lago)

  • 02:27 Story Lyrics
    Os Dias, As Noites e o Tempo

    Os dias passam com algum pesar
    Mas pouco a pouco consigo suportar
    Às vezes como um cadáver a me arrastar
    Às vezes com alguma alegria no ar

     

    Os dias passam

     

    Mas as noites, ah, as noites eu tento
    E tento e tento
    Mas são pesadelos a me atormentar
    Quando fecho meus olhos e sinto o tempo
    Pouco a pouco a me escapar
    Tempo que nunca mais vai voltar
    Tempo que eu estou a perder
    Tempo que desperdiço longe de você
    Tempo que me engole, voraz
    Noites e noites sem paz

     

    As noites são pesadelos

     

    Lembranças de tempos felizes
    Só sobraram as cicatrizes

     

    Longe de você, meu peito se cala
    Morto por dentro, essa é minha sina
    Eu fecho os olhos, a morte me fala
    Ela pode estar ali, na próxima esquina
    E nunca mais, nunca mais, nunca mais
    Nunca mais a chance
    Fora do alcance

     

    Os dias passam
    As noites são pesadelos
    O tempo não volta mais
    Vida sem paz

  • 02:33 Story Lyrics
    Ondas do Mar de Vigo

    Ondas do mar de Vigo,
    se vistes meu amigo!
    E ai, Deus!, se verrá cedo!

     

    Ondas do mar levado,
    se vistes meu amado!
    E ai Deus!, se verrá cedo!

     

    Se vistes meu amigo,
    o por que eu sospiro!
    E ai Deus!, se verrá cedo!

     

    Se vistes meu amado,
    por que hei gran cuidado!
    E ai Deus!, se verrá cedo!

  • 03:22 Story Lyrics
    Impossível Acreditar Que Perdi Você

    Não, eu não consigo
    Acreditar
    No que aconteceu
    Pesadelo meu
    Nada se acabou

    Não, é impossível

    Eu não consigo
    Viver sem você
    Volte e venha ver
    Tudo em mim mudou

     

    Eu já não consigo
    Mais viver dentro de mim
    E, e viver assim
    É quase morrer
    Venha me dizer sorrindo
    Que me perdoou
    E que ainda é meu,
    Só meu, o seu amor

     

    Hoje mais um dia
    De tristeza
    Para mim passou
    Nem no meu olhar
    Nada se alegrou
    Sinto-me perdido
    No vazio
    Que você deixou
    Nada quero ser
    Já nem seu quem sou

     

    Eu já não consigo
    Mais viver dentro de mim
    E, e viver assim
    É quase morrer
    Venha me dizer sorrindo
    Que me perdoou
    E que ainda é meu
    Só meu, o seu amor

  • 04:03 Story Lyrics
    Torna a Surriento

    Vide'o mare quant’è bello,
    spira tantu sentimento,
    Comme tu a chi tiene mente,
    Ca scetato 'o faie sunnà.

     

    Guarda gua' chistu ciardino;
    Siente, sie’ sti sciure arance:
    Nu profumo accussi fino
    Dinto 'o core se ne va…

     

    E tu dice: "I’ parto, addio!"
    T’alluntane da stu core…
    Da sta terra de l’ammore…
    Tiene 'o core 'e nun turnà?

     

    Ma nun me lassà,
    Nun darme stu turmiento!
    Torna a Surriento,
    Famme campà!

     

    Vid'o mare de Surriento,
    che tesoro tene nfunno:
    chi ha girato tutto 'o munno
    nun l'ha visto comme'a ccà.

     

    Vid'o attuorno sti Serene,
    ca te guardano 'ncantate,
    e te vonno tantu bene...
    Te vulessero vaga.

     

    E tu dice: "I' parto, addio!"
    T'alluntane da stu core
    Da sta terra de l'ammore
    Tiene 'o core 'e nun turnà?

     

    Ma nun me lassà,
    Nun darme stu turmiento!
    Torna a Surriento,
    Famme campà!

  • 02:30 Story Lyrics
    Há Tantas Coisas

    Há tantas coisas que não voltam mais
    E que preciso aprender a deixar pra trás
    O seu sorriso que o tempo não traz
    O meu amor que já não te satisfaz

     

    Mas é tão difícil e seja o que for
    Mesmo difícil ainda há tanto amor
    Aqui dentro e lá fora, o que foi que mudou
    O que faço agora que acabou?

     

    Há tantas coisas ficando pra trás
    Será mesmo que não voltam mais?
    Aquele brilho no seu olhar
    Um jeito tão puro da gente se amar

     

    Por que é tão difícil se há tanto amor?
    Eu verei seu rosto por onde eu for
    Daquilo que fomos, o que foi que restou
    Não parece verdade que terminou

     

    O que fizemos - o que inventamos
    Era tão puro - por que mudamos?
    Mas tudo muda - tudo deve passar
    Mas nosso amor era mais, eterno apesar...

     

    De tantas coisas ficando pra trás
    Será mesmo que não voltam mais?
    Aquele brilho no seu olhar
    Um jeito tão puro da gente se amar

  • 00:44 Story Lyrics
    E Se...?

    E se não existisse nada além de nós dois?
    E se não chegasse nunca o momento depois?

  • 01:19 Story Lyrics
    Canção do Exílio

    Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o Sabiá;
    As aves, que aqui gorjeiam,
    Não gorjeiam como lá.

     

    Nosso céu tem mais estrelas,
    Nossas várzeas têm mais flores,
    Nossos bosques têm mais vida,
    Nossa vida mais amores.

     

    Em cismar – sozinho – à noite –
    Mais prazer encontro eu lá;
    Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o Sabiá.

     

    Minha terra tem primores,
    Que tais não encontro eu cá;
    Em cismar – sozinho – à noite –
    Mais prazer encontro eu lá;

     

    Minha terra tem palmeiras,
    Onde canta o Sabiá.
    Não permita Deus que eu morra,
    Sem que eu volte para lá;

     

    Sem que eu desfrute os primores
    Que não encontro por cá;
    Sem qu'inda aviste as palmeiras,
    Onde canta o Sabiá.

  • 04:00 Story Lyrics
    Ahasverus Blues

    Sabes quem foi Ahasverus?... — o precito,
    O mísero Judeu, que tinha escrito
    Na fronte o selo atroz!
    Eterno viajor de eterna senda...
    Espantado a fugir de tenda em tenda,
    Fugindo embalde à vingadora voz!

     

    Misérrimo! Correu o mundo inteiro,
    E no mundo tão grande... o forasteiro
    Não teve onde... pousar.
    Co'a mão vazia — viu a terra cheia.
    O deserto negou-lhe — o grão de areia,
    A gota d'água rejeitou-lhe o mar.

     

    D'Ásia as florestas — lhe negaram sombra
    A savana sem fim — negou-lhe alfombra.
    O chão negou-lhe o pó! ...
    Tabas, serralhos, tendas e solares...
    Ninguém lhe abriu a porta de seus lares
    E o triste seguiu só.

     

    Viu povos de mil climas, viu mil raças,
    E não pôde entre tantas populaças
    Beijar uma só mão...
    Desde a virgem do Norte à de Sevilhas,
    Desde a inglesa à crioula das Antilhas
    Não teve um coração! ...

     

    E caminhou! ... E as tribos se afastavam
    E as mulheres tremendo murmuravam
    Com respeito e pavor.
    Ai! Fazia tremer do vale à serra...
    ele que só pedia sobre a terra
    — Silêncio, paz e amor! —

  • 03:39 Story Lyrics
    E Agora, Amor? (Et Maintenant)

    E agora, amor, o que vou fazer
    De todo este tempo que será minha vida?
    De toda essa gente tão indiferente
    Depois de tua partida?

     

    Todas estas noites, por quê, pra quem?
    E esta manhã que me leva a nada.
    Em meu peito bate, pra quem, por quê?
    E bate tão forte, sem alma

     

    E agora, amor, o que vou fazer
    da nossa história que está acabada?
    Tu me deixastes a terra inteira
    Mas a terra sem ti não é nada

     

    Amigos, quem? Sobraram quantos?
    E sabem bem que nada há a fazer
    Pela cidade, todos os cantos,
    Tanta lembrança em prantos

     

    E agora, amor, o que vou fazer?
    Eu vou sorrir para não mais chorar
    Noites inteiras eu vou arder
    E de manhã vou te odiar

     

    E ainda assim dentro de mim
    Eu verei bem o fim do caminho
    Nenhuma flor, nem choro teu
    No momento do adeus

     

    Eu não tenho mais nada a fazer
    Eu não tenho mais nada

  • 01:11 Story Lyrics
    44 (Profunda Cela)

     

    Na solidão profunda da minha triste cela,
    onde assolam-me as lembranças que inda tenho dela
    e a melancolia é minha musa perene,
    por que vaga em pensamentos o meu coração?
    Se ela não me concede meu sonhado perdão
    por mais que eu implore e mude e sofra e tente e pene.

     

    Como eu anseio que salve-me uma só mensagem!
    Eu vejo seu nome, como uma doce miragem.
    Oh, nome para sempre triste, sempre querido,
    escrito em minhas lágrimas que esperam um sim,
    escapa em suspiros em tantas noites sem fim:
    chamo e clamo, salve-me do desterro sofrido!

  • 02:50 Story Lyrics
    Unchain My Heart

     

    Unchain my heart
    Baby let me be
    Unchain my heart
    'Cause you don't care about me

     

    You've got me sewed up like a pillow case
    But you let my love go to waste so
    Unchain my heart, set me free

     

    Unchain my heart
    Baby let me go
    Unchain my heart
    If you don't love me no more

     

    Love you forever, once you told
    But now it's gone and you act so cold so
    Unchain my heart, set me free

     

    I'm under your spell
    Like a man in a trance
    But I know damn well
    That we blew up our chance

     

    So unchain my heart
    Let me go my way
    Unchain my heart
    You worry me night and day

     

    Why lead me through a life of misery
    When you don't care a bag of beans for me
    So unchain my heart, set me free

  • 03:03 Story Lyrics
    Adeus, Baby

     

    Acordei esta noite pensando em você

    Te juro, não queria te perder

    Como tudo isso foi acontecer?

    Nunca vou te esquecer

     

    Mas acho que é o fim e acabou

    Dos bons momentos, o que restou?

    As lembranças vão permanecer

    Nunca vou te esquecer

     

    Se é o fim, baby

    Então, adeus, baby

    Talvez na próxima, então

    Tenhamos uma solução

     

    Acordei esta noite pensando em você

    Estava tão triste sem te ver

    Baby, o que eu fui fazer?

    Nunca vou te esquecer

     

    Mas acho que é o fim e acabou

    Se é assim, então eu me vou

    Mas se você precisa saber

    Nunca vou te esquecer

     

    Se é o fim, baby

    Então, adeus, baby

    Talvez na próxima, então

    Tenhamos uma solução

  • 00:12 Story Lyrics
    Em Memória de um Grande Amor

     

    Acredito, seja lá onde eu for,
    eu sinto quando mais sofro sem paz;
    é melhor ter perdido um grande amor
    do que nunca ter amado demais.

  • 01:28
    Quando a Canção Chega ao Fim

Join my e-mail list!

Jukebox